LINKS RÁPIDOS

Dicas

Dia a Dia

Vídeos

Editorial - Quando operar?

 

REDES SOCIAIS

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • YouTube - Círculo Branco
  • White Twitter Icon
  • Branca Ícone SoundCloud

     CONSULTÓRIO

Rua Vergueiro,1.421, Sala 305 Torre Sul 

Paraíso São Paulo/SP

Cep. 04101-000


 

(11) 2936.8838 

(11) 5571.9933

Dr. Luiz Pimenta – Especialista em Cirurgia da Coluna Minimamente Invasiva

Visite também: IPC - Instituto de Patologia da Coluna - Cirurgia e Tratamento da Coluna

©Copyright © 2019. Dr. Luiz Pimenta                                                                                                                                                                                        Developed by ANBInfo

PROCEDIMENTOS INTERVENCIONISTAS

Injeções Espinais

 

A dor lombar crônica é uma apresentação de grande importância, sendo que não só causa limitação funcional importante para o indivíduo, mas também resulta em um impacto socioeconômico devido ao grande número de consultas médicas e afastamentos do trabalho. Existem várias causas podem levar à dor lombar crônica, como as causas provenientes dos discos intervertebrais, das articulações facetárias, das articulações sacroiliacas e as causas puramente musculares.

Em casos que há instabilidade vertebral ou desgaste das articulações podem ocorrer processos inflamatórios e consequentemente dolorosos. Existem também casos em que as dores podem ser geradas diretamente por irritação dos nervos, podendo se estender desde a coluna até os braços  ou as pernas (dores irradiadas).

Existem diferentes opções no tratamento de síndromes dolorosas da coluna. Dependendo do caso, podem ser utilizadas algumas opções não-cirúrgicas na tentativa de alívio da dor e na busca do bem-estar do paciente. Dentre estas alternativas terapêuticas estão os trabalhos de restabelecimento muscular e postural (por exemplo, a hidroterapia ou a fisioterapia) e as técnicas com utilização de medicamentos e pequenos procedimentos (por exemplo, a administração oral de medicamentos, acupuntura ou as injeções espinhais).

O grande grupo das injeções espinais é classificado como procedimento intervencionista, no entanto, não são consideradas conservadoras nem cirúrgicas. Estes procedimentos podem ser divididos em duas classes: infiltrações e ablações nervosas. Os primeiros são procedimentos realizados com a inoculação de medicamentos antiinflamatórios ou anestésicos, e os segundos neutralizam definitivamente as terminações nervosas dolorosas (ablação e rizotomia). De forma terapêutica, estes procedimentos podem ser mais eficazes do que as medicações orais no alívio da dor, pois atuam diretamente na localização anatômica ou terminações nervosas envolvidas na dor. De forma diagnóstica, se o procedimento proporciona alívio temporário pode inferir-se que a região específica é a fonte causadora da dor. Ainda, com um alívio a médio prazo, é possível que o paciente faça um trabalho mais focado de fisioterapia ou trabalho muscular. Dependendo do tipo de injeção, algumas formas de alívio da dor lombar podem ser duradouras e algumas podem ser apenas temporárias.

Estes procedimentos pouco invasivos são ótimas ferramentas tanto para almejar o alívio da dor quanto para utilizar como recurso diagnóstico com o intuito de seguir com outro tratamento mais direcionado e eficaz.

Os procedimentos intervencionistas abrangem uma gama de métodos relativamente simples, que não necessitam de preparativos tão complexos quanto aos preparativos de uma cirurgia. O paciente não é submetido à anestesia geral, são procedimentos realizados sob anestesia local ou com a utilização de uma simples sedação para maior conforto do paciente. Os procedimentos geralmente duram de 10 a 30 minutos e o paciente não fica internado. Dessa maneira, esses procedimentos podem ser realizados tanto em ambiente ambulatorial (consultório) quanto em centro cirúrgico hospitalar. A utilização de intensificador de imagem (fluoroscopia/ raios-X) auxiliam na localização da região de interesse da coluna vertebral.

São diversos os tipos de procedimentos intervenciostas espinais: bloqueio de facetas, infiltração sacro-ilíaca, discografia, infiltração foraminal, infiltração seletiva de raiz nervosa, bloqueio de gânglio nervoso, bloqueio de plexo nervoso, infiltração peridural, nucleototomia (IDET) e rizotomia/ neurotomia elétrica, térmica ou por radiofrequência. Cada procedimento é indicado para um fim específico e o médico especialista de coluna é o único que deve determinar sua utilização.

 

Referências

Silva TMS; Coutinho Filho BR; Barsotti CEG; dos Santos FPE; Galves JA; Oliveira CEAS. Avaliação clínica da infiltração facetaria no tratamento da dor lombar crônica por síndrome facetaria estudo prospectivo. Coluna/Columna. 2011, vol.10, n.4, pp.332-335.

Kaye AD, Manchikanti L, Abdi S, Atluri S, Bakshi S, Benyamin R, et al. Pain Physician. 2015 Nov;18(6):E939-1004. Efficacy of Epidural Injections in Managing Chronic Spinal Pain: A Best Evidence Synthesis.

Theodoridis T e Kraemer J. In: Spinal Injections Techniques. Thieme. 2009