Anatomia óssea da coluna


A coluna vertebral tem função de sustentação de carga, locomoção, equilíbrio e proteção dos elementos neurais (nervos). É formada, basicamente, por vértebras, discos intervertebrais, músculos e ligamentos.

Todos os elementos da coluna e das vértebras servem, por exemplo, para proteger a medula espinhal, que proporciona comunicação com o cérebro, mobilidade e sensações corporais.

É o pilar central para todo o corpo, que sustenta o tronco e nos permite fazer todos os movimentos da cabeça, dos braços e das pernas.


As Vértebras

A coluna vertebral é composta por 33 vértebras empilhadas umas sobre as outras que, juntamente com os músculos, exercem as funções de sustentação, equilíbrio e movimento.

Anatomia da Coluna Vertebral

A anatomia da coluna vertebral é perfeitamente desenhada para desempenhar diversas funções. Todos os elementos da coluna e das vértebras servem, por exemplo, para proteger a medula espinhal, que proporciona comunicação com o cérebro, mobilidade e sensações corporais. É o pilar central para todo o corpo, que sustenta o tronco e nos permite fazer todos os movimentos da cabeça, dos braços e das pernas.

As Vértebras A coluna vertebral é composta por 33 vértebras empilhadas umas sobre as outras que, juntamente com os músculos, exercem as funções de sustentação, equilíbrio e movimento. As vértebras sacrais e coccígeas são denominadas vértebras falsas porque no adulto são fundidas para formar o sacro e cóccix. As demais vértebras, cervicais, torácicas e lombares, são denominadas verdadeiras porque permanecem distintas por toda a vida. De cima para baixo, as vértebras são classificadas como cervicais (C1 -C7), torácicas (T1-T12), lombares (L1-L5), sacrais (S1-S5) e quatro coccígeas. No centro das vértebras existe um orifício que forma o canal vertebral, cuja função é de abrigar e proteger a medula espinhal.

Partes da Coluna Vertebral

1. Coluna Cervical

A Coluna Cervical (C1 -C7) é composta pelas primeiras sete vértebras. Inicia bem abaixo do crânio e termina no topo da coluna torácica. A coluna cervical tem o formato de um C invertido (curva lordótica) e é muito mais móvel do que as regiões torácica ou lombar. Diferente de outras regiões da coluna, a cervical tem aberturas especiais em cada vértebra para as artérias que levam o sangue ao cérebro.


2. Coluna Torácica Na Coluna Torácica (T1-T12), os discos têm uma espessura quase uniforme, enquanto nas áreas Cervical e Lombar são mais espessos na frente, o que contribui para as curvas regionais.


3. Coluna Lombar

Já a Coluna Lombar (L1 a L5) começa na parte inferior da coluna vertebral, exatamente abaixo das regiões torácica e cervical e logo acima do sacro. As vértebras lombares são as mais envolvidas com dores nas costas porque sustentam a maior parte do peso do corpo e estão sujeitas aos maiores esforços e tensões da coluna vertebral.


4. Região do Sacro

Em seguida, vem a Região do Sacro (S1 a S5), composto pelo osso do sacro, que é resultante da fusão de cinco vértebras. Com uma vértebra de cada lado, este conjunto se articula com os ossos ilíacos do quadril, que se articulam com os fêmures.


5. Região do Cóccix

Abaixo do Sacro está o Cóccix, que é formado pela fusão das últimas quatro vértebras. Em formato de cauda, o Cóccix corresponde ao final da coluna vertebral.


Medula Espinhal e Nervos A medula espinhal se estende a partir da base do cérebro e a região entre a primeira e segunda vértebras lombares. A medula espinhal termina divergindo em nervos individuais que viajam para a porção inferior do corpo e das pernas. Por causa de sua aparência, este grupo de nervos é chamado de cauda equina – o nome latino de “rabo de cavalo”. Os grupos nervosos viajam através do canal vertebral por uma curta distância antes de sair do forame neural.

A medula espinhal é coberta por uma membrana protetora chamada dura-máter, que forma uma bolsa estanque em torno da medula espinhal e nervos. Dentro deste saco está o fluido (liquor) da coluna vertebral, que envolve a medula espinhal.

Os nervos em cada área da medula espinhal estão ligados a partes específicas do corpo. Aqueles na espinha cervical, por exemplo, estendem-se à parte superior do peito e braços, aqueles na coluna lombar, para a porção inferior do dorso, para as nádegas e as pernas. Os nervos carregam também sinais elétricos de volta para o cérebro, criando sensações. Danos aos nervos, raízes nervosas ou da medula espinhal podem resultar em sintomas como dor, formigamento, dormência e fraqueza.


A verdadeira medula espinhal termina aproximadamente ao nível L1, onde se divide nas raízes nervosas, que viajam para o corpo, e os membros inferiores. Esta coleção de raízes nervosas é chamada de cauda equina, que significa “crina de cavalo” e descreve a continuação das raízes nervosas no final da medula espinhal.


#colunavertebral #anatomiadacoluna #medulaespinhal

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo